Análise e Discussão Big Data

4 fatos que você precisa saber ao trabalhar com dados

2

O valor de um banco de dados inteligente, automatizado e organizado para a produção de insights decisivos está cada vez mais claro para o mercado.

Profissionais de diversas áreas e empresas estão começando a entender que, na era da informação, processar e analisar dados em planilhas de excel já não é o suficiente para suprir as demandas de um negócio data-driven.

É claro que, nessa onda, o trabalho de Big Data Analytics passa a ser um dos maiores desejos das empresas competitivamente inovadoras e dos profissionais atentos às tendências do mercado. Todavia, por ser um assunto novo e que cada dia recebe mais interessados iniciantes, é sempre importante salientar os pontos positivos, bem como as dualidades e mitos relacionados ao universo de Big Data.

Neste post, preparamos uma lista de 4 fatos relevantes que você precisa saber sobre o assunto.

1- Você não vai chegar a lugar nenhum sem as perguntas certas

Alguns profissionais acreditam que o fato de ter organizado inúmeras bases de dados históricos sobre o seu negócio é o suficiente para fazer um trabalho revelador de Big Data.

Na prática, não é bem assim.

Se o empreendedor e a equipe envolvida não tiverem boas perguntas para fazer aos dados, ficarão perdidos apenas olhando para o passado, sem ter um objetivo específico e sem explorar todas as possibilidades que o trabalho analítico oferece. E, cá entre nós, essa pode ser uma experiência bem frustrante.

Então, a dica da vez é: saiba bem quais respostas busca ao começar um trabalho de Big Data Analytics!

2- Big Data Analytics é uma coisa, análise de dados é outra

Muitos ainda não conseguem encontrar o grande valor no trabalho de BDA por não entenderem, de fato, qual o grande diferencial deste serviço em relação às ofertas comuns de análises triviais de dados.

Além da rápidez, precisão e elasticidade tecnológica para grandes volumes, o fato que mais diferencia esses universos é o tipo de olhar que podemos lançar perante os dados.

A maior parte dos trabalhos tradicionais de Business Intelligence (B.I) e análise de dados estão apegados exclusivamente aos dados históricos e perguntas focadas no passado. É aí que está o grande diferencial quando se trabalha também com Big Data: é possível usar dados não só para fazermos análises históricas, diagnósticas e descritivas, mas ir além e prever o futuro mercadológico do seu negócio com complexas análises preditivas.

Cientistas de dados e empresas especialistas em Big Data podem desenvolver algoritmos capazes de cruzar o que podemos ver pelo retrovisor para tomarmos decisões relacionadas aos tempos que estão por vir. Resumindo: análise preditiva é uma das partes mais legais de se trabalhar com BDA.

3- Uma equipe multidisciplinar potencializa seus dados

Não basta uma grande equipe de T.I., é importante buscar outros olhares, análises e ter uma cultura guiada por grandes dados em toda a organização. Dizemos isso até mesmo por experiência.

Por exemplo, no projeto de Big Data Analytics que realizamos para o Governo Federal durante a Copa das Confederações (conheça o case aqui), foi fundamental contar com a ótica de profissionais de comunicação social, sociologia, estatística e demais áreas.

Isso significa que um bom trabalho de BDA também pode ir além de análises automatizadas. A interferência de cientistas, engenheiros e outros profissionais pode funcionar muito bem para um trabalho de sucesso.

4- Dados em excesso podem assustar, mas são oportunidade!

Atualmente, o mundo está respirando dados. Sobretudo por causa da massificação das redes sociais e dos smartphones, temos um potencial insano e fonte de dados.

A saída é entender como isso pode se tornar uma oportunidade para o seu negócio. Uma estratégia de análise,  suportada por tecnologias de processamento inteligente como machine learning e inteligência artificial podem levar a resultados surpreendentes.

Por exemplo, uma instituição financeira que quer entender o comportamento de seus clientes pode ir além da análise de transações bancárias de seus correntistas e explorar interpretativamente os dados de check-in, compartilhamentos e as curtidas que os mesmos correntistas deixam diariamente nas redes sociais.

O segredo é encontrar oportunidades de acordo com o seu objetivo, apostando na integração e a análise granular de bancos de dados de diversas naturezas. O resultado são insights incríveis que só são possíveis graças ao alto nível tecnológico das soluções de Big Data.

E você, acrescentaria mais fatos à essa lista? Compartilhe conosco pelos comentários! 

Banner