Análise e Discussão Big Data

Big Data na Black Friday: como dados ajudam a sua empresa a viralizar vendas

Big Data Black Friday
1

De alguns anos para cá, a Black Friday, tradicional dia de vendas do varejo norte-americano, tem ganhado força também no mercado brasileiro.

A oportunidade de atrair mais clientes e alcançar picos de vendas de produtos e serviços com descontos especiais (quando não se tratam de “black fraudes”) é cada vez mais valorizada entre as empresas daqui.

Contudo, o que nem todas as companhias que desejam aproveitar o frisson de consumo gerado pela Black Friday sabem é que, por meio de Big Data (e da coleta e análise destes gigantescos volumes de dados de compra produzidos pelas pessoas), é possível elevar a efetividade das estratégias de promoções exclusivas e vendas – e, consequentemente, se destacar dentre as milhares de ofertas disponíveis para os consumidores.

As minas de ouro

Antes de nos aprofundarmos nas vantagens competitivas que Big Data possibilita às empresas adeptas da Black Friday, é essencial mostrar, de forma clara, de onde vêm os dados usados pelas ferramentas de data mining.

A primeira fonte de dados são as boas e velhas pesquisas de mercado. Por meio delas, é possível ter uma visão macro das características de compra das pessoas, como quanto elas estão dispostas a pagar, com quais tipos de produtos elas querem gastar seu precioso dinheirinho e as formas de pagamento mais populares.

Falando em formas de pagamento, as bases de dados das empresas de cartão de crédito são outra importante fonte de informação. A MasterCard, por exemplo, desenvolveu o MasterCard Advisors, ferramenta que coleta e agrega dados anônimos de bilhões de compras e transações de seus usuários, a fim de identificar segmentos bem definidos de consumidores – como “compradores de Dia dos Namorados”, “compradores de último minuto no Natal” (quem nunca?) e “compradores de Black Friday” – e vender essas informações para empresas interessadas em encontrar seu público-alvo ideal.


Leia também: 6 bases de dados gratuitas para mineração, estudos e testes


Programas de fidelidade também representam ótimas fontes de extração de informação. Em troca de descontos e outros benefícios, as pessoas se dispõem a ceder seus dados pessoais, como nome, endereço, telefone e e-mail.

Por fim, não podemos nos esquecer do comportamento online dos consumidores como fonte. Reviews de produtos, históricos de compra, comentários nas páginas oficiais das empresas em redes sociais: todos esses “rastros” que as pessoas deixam na web são dados úteis a serem coletados e analisados pelas tecnologias de Big Data Analytics.

Baixe_aqui_seu_Ebook_08 (1)

As melhores ofertas a partir dos dados

Agora que você já sabe de onde os dados são extraídos, focaremos, neste tópico, nos benefícios concretos que Big Data traz para as estratégias de venda na Black Friday.

Previsão de tendências e otimização de estoque

Na Black Friday, as empresas contam com o aumento da demanda pelos seus produtos. No entanto, elas precisam mensurar bem quais de suas mercadorias terão maior procura, além do volume de busca por elas, a fim de evitar prejuízos, como estoques cheios ao fim da “Sexta-feira Negra” (ou seja, produtos que não tiveram as saídas esperadas). Ou, pior, deixar de vender suas mercadorias por não tê-las mais disponíveis devido a uma inesperada demanda maior que a planejada.

Big Data, por meio de suas técnicas de aprendizado de máquina (machine learning), vai ao encontro a esta necessidade de prever, de forma assertiva, quais produtos farão mais sucesso entre os consumidores durante a Black Friday. Para mostrar, de forma clara e prática, como machine learning ajuda nesta missão, utilizaremos como exemplo uma marca de roupas.

Com o cruzamento de dados estruturados – como histórico de compras dos clientes com esta marca – e não-estruturados – como os dados gerados pelas pessoas em redes sociais –, aliados às tradicionais pesquisas de mercado, é possível à empresa compreender quais têm sido os principais padrões de busca por peças de roupas (cor, tamanho, corte, estilo e dezenas de outras características) e quais são as intenções de próximas compras do consumidor.

Com esses insights em mãos, a marca é capaz de prever, com bastante precisão, quais serão suas peças mais desejadas na Black Friday e, assim, planejar sua disponibilidade de produtos. Além disso, a gestão de estoque e de toda a cadeia logística da empresa é otimizada.

Baixe_aqui_seu_Ebook (12)

Ofertas personalizadas

Não é nenhuma novidade que o consumidor atual não se deixa levar por ofertas genéricas e que não refletem as suas necessidades e desejos. Para que ele seja convencido a gastar dinheiro em um produto ou serviço, são necessários mais do que apenas o valor agregado ou a precificação correta daquela oferta; é preciso que ela “dialogue” com o dia a dia daquele consumidor específico – algo que ganha ainda mais importância durante a Black Friday.

Big Data ajuda, e muito, as empresas a aumentarem o grau de personalização de suas ofertas e torná-las únicas aos olhos de cada pessoa. Vamos utilizar novamente o exemplo da marca de roupas: por meio da coleta e análise dos dados – tantos os citados no tópico acima, quanto outros tipos, como as peças de roupas buscadas pelo usuário no site, experimentadas na loja ou até mesmo que tenham padrões visuais semelhantes a outras já compradas por ele –, é possível à empresa determinar as combinações ideais de estilo, cor e tamanho que melhor se adaptem às necessidades de seus clientes. A partir destas informações, a companhia consegue elaborar ofertas com alto nível de personalização para grupos bem definidos de seu público-alvo, ou até mesmo para um cliente específico.

Quantos mais dados as empresas têm das pessoas (consumidores da marca ou potenciais clientes), mais segmentadas e personalizadas podem ser suas promoções e ofertas. Consequentemente, mais elevadas tornam-se as chances não apenas de vendas pontuais, mas de relações profundas com os clientes e fidelização.

E você? Baseou em dados suas estratégias de venda nesta Black Friday?

Sobre o autor:

juliano_ferreira_hekima_editJuliano é membro da equipe de Marketing da Hekima e cuida da área de Sucesso do Cliente. É apaixonado por leitura e escrita e, nas horas vagas, não dispensa uma cerveja ou uma partida de Fifa (quiçá ambas as coisas juntas).