Análise e Discussão Big Data Cases

Big Data na Educação: como a Data Science pode reduzir a evasão escolar?

educacao-bigdata2
1

Se você pensar no impacto que a tecnologia trouxe às nossas vidas, verá que hoje temos algoritmos analisando nosso comportamento a todo momento.

Eles monitoram o que estamos fazendo agora para influenciar o que iremos fazer depois, inclusive na sala de aula.

Serviços online, por exemplo, como Amazon ou Netflix, já sugerem produtos e serviços baseados em dados captados pelo seu histórico de navegação e fatores determinados pelo seu comportamento na web.

É claro que essa é apenas uma das maneiras de se utilizar Big Data estrategicamente – cujo poder de otimização e machine learning não se restringe às empresas e indústrias.

Atualmente, um dos tipos de organização que mais se beneficiam do uso de Big Data Analytics são as instituições educacionais.

Escolas e universidades já entenderam os inúmeros benefícios que a tecnologia pode trazer à sala de aula e investem cada vez mais pesado para otimizar experiências que podem garantir até mesmo a redução da evasão escolar.

Quer saber como isso acontece? Acompanhe!

Porque escolas e universidades precisam de Big Data?

Sem a tecnologia apropriada, gerenciar dados pode demandar um grande esforço das escolas: como armazenar, processar e fornecer acesso a dados que vão das notas dos alunos a informações sobre prensença, ações disciplinares, atividades esportivas ou histórico médico?

Geralmente, esses dados estão em diversas plataformas diferentes (sem integração, com difícil visualização e quase sem utilidade para planejamentos estratégicos) ou ainda são coletados e armazenados em intermináveis e pouco funcionais arquivos de papel. O resultado é a falta de decisões data-driven e, consequentemente, o comprometimento da gestão, ensino e desempenho dos alunos.

Ainda precisamos dizer que o último ato dessa tragédia anunciada é a evasão escolar?

Educação 2.0: um passo à frente com ajuda da Data Science

O cenário é completamente diferente, no entanto, quando instituições educacionais utilizam todo o poder de processamento, integração, visualização e otimização de dados que o stack de tecnologias ligadas ao universo de Big Data pode oferecer.

Na ponta operacional,  o destaque é a integração rápida, eficiente e facilmente exportável de dados. Esse tipo de mudança parece simples e pouco efetiva, mas representa um aumento considerável na precisão e rapidez de micro-processos diários que podem impactar diretamente na experiência do aluno e, respectitivamente em sua permanência na instituição educaional.

Já no aspecto ligado ao planejamento e à gestão dessas organizações, o uso de soluções de Big Data não só permite que os gestores tomem decisões a partir de dados (em organizações de sucesso, o espaço para a intuição deve ser delimitado por informações concretas) como ainda sugerem, de forma automática, os próximos passos mais inteligentes e traçam panoramas sobre os cenários futuros mais prováveis por meio de sofisticadas análises preditivas.

Em linhas gerais, a aplicação de Big Data na gestão educacional permitira, por exemplo, enxergar que um certo professor é particularmente bom com certos estudantes e organizar as aulas de forma que ele lecione para esses alunos. Ou ainda identificar em quais matérias um aluno tem mais facilidade e em quais precisa de ajuda, quais ações indicam satisfação e engajamento do aluno com a escola e quando um estudante está mostrando sinais de que ficará em recuperação.

Isso tudo de modo rápido, preciso e automatizado. Sem necessidade de intuição mágica ou relacionamento profundamente próximo entre aluno e professor – situação cada vez mais difícil em turmas que podem chegar a ter mais de 100 alunos.

Na sala de aula: experiências data-driven

Quando olhamos dentro da sala de aula, o uso de Big Data está mudando a forma como o professor trabalha e, consequentemente, como o aprendizado acontece. Abaixo separamos três exemplos com alto potencial de transformação do ensino que estão na interseção entre dados e educação.

1 – Avaliação inteligente

De maneira simples, alguns aplicativos permitem aos professores a aplicação rápida, eficiente e simplificada de provas de múltipla escolha por dispositivos mobile. O impacto vai além da economia de tempo ou da redução de milhares de papéis que rapidamente se tornam obseletos e facilita a experiência dos alunos que, em sua maioria, já nasceram no universo digital.

Ainda prefere aplicar provas do modo tradicional? Bem, ainda é possível facilitar  a avaliação de atividades por meio de aplicativos que corrigem utilizando a câmera do seu smartphone. Precisamos dizer que os dados são rapidamente coletados, processados e armazenados seguramente via cloud computing, agilizando também o acesso às notas?

2 – Aprendizagem personalizada

Lembra da centralização, integração e fácil acesso aos dados que falamos ao longo de todo este artigo?

É aqui que ela é fundamental para evitar a evasão de alunos propensos a deixarem intituições educacionais. Mais do que facilitar as tarefas e o processo de pontuação, Big Data expandiu a experiência do que os alunos aprendem, quando aprendem e em que nível. Com o uso dos dados é possível entender em quais pontos de uma matéria um aluno está tendo mais dificuldade e proporcionar atividades focadas nisso.

Isso tudo graças ao cruzamento do resultado de atividades, histórico escolar, acompanhamento disciplinar e até avaliações médicas.

3 – Gerenciamento de problemas

Outra grande vantagem é a resolução de problemas ligados às vivências na sala de aula, tanto por parte dos alunos, quanto por parte dos professores. O uso de soluções que integrem o volume gigantesco de dados produzidos por um aluno a chatbots podem, por exemplo, rapidamente solucionar suas principais reclamações ou dúvidas de alunos.

O assunto pode ser desde a matéria apresentada em sala de aula à conduta de algum profissional ou regras da instituição. Tudo só depende da vontade da instituição de utilizar dados a seu favor para impulsionar a otimização de processos.

A esta altura, já ficou claro que o uso cada vez maior da tecnologia aliada ao crescente volume de dados que alunos e a rotina educacional produzem pode transformar a educação do jeito que conhecemos, certo?

Da sala de aula à secretaria e grandes reuniões de gestão, o uso de Big Data é a resposta para transformar a educação do jeito que a conhecemos hoje!

Curtiu nosso post e quer continuar descobrindo tudo sobre Big Data? Assine nossa newsletter e receba muito mais gratuitamente no seu e-mail!

Baixe_aqui_seu_Ebook (7)