Análise e Discussão Big Data Cases

Entenda por que Dia dos Namorados tem tudo a ver com Big Data

1

Parece não ter nada a ver ou difícil de acreditar, mas relacionamentos e Big Data são temas que podem sim formar um “casal” interessante.

Atualmente, já podemos usar os dados de comportamento digital e de demais fontes para diversos tipos de análises preditivas ou históricas. Todo esse assunto nos parece um assunto instigante para a época do dia dos namorados.

Afinal, o que nós podemos aprender unindo inteligência artficial, algoritmos e nossos relacionamentos amorosos? Será que dados revelam se você está mesmo vivendo uma paixão, ou se semana que vem você já vai estar em outra? Um cientista de dados poderia dizer como será  seu dia dos namorados do ano que vem?

Selecionamos aqui alguns exemplos de situações, projetos e pesquisas que mostram que Big Data Analytics e dia dos namorados são temas que estão mais relacionados do que vocẽ imagina. Veja a seguir:

1- Um algorítimo que sabe sobre se o namoro tem futuro ou não

Os pesquisadores Jon Kleinberg, cientista da universidade de Cornell, e Lars Backstrom, engenheiro do Facebook, criaram um algoritmo curioso: ele consegue determinar quando uma pessoa está prestes a terminar ou também avaliar as chances de um relacionamento durar mais tempo.

Toda essa análise preditiva é feita através de dados de interações e comportamentos que deixamos no Facebook.

A pesquisa foi realizada durante dois anos e analisou 8,6 bilhões de conexões de 1,3 milhão de usuários do Facebook. Todas as pessoas analisadas declaravam ter um relacionamento sério e tinham mais de 20 anos de idade.

O algoritmo foi capaz de acertar 60% dos casos dos relacionamentos que estavam para terminar através da dispersão de interações na rede.

2-  Sites e aplicativos de namoro e os algorítmos dos pares perfeitos

Todos os famosos sites de relacionamento também fazem análises de dados para provocar os encontros ideais.

Para afirmar que “Fulano tem 95% de compatibilidade com seu perfil”, os sistemas destes sites,  como o Ok Cupid e Tinder, bebem da fonte de Big Data.

A explicação de como isso funciona nos bastidores é um pouco complexa, mas o TED feito por Christian Rudder vai te mostrar melhor como funciona. Assista abaixo:

3- Engenheiro da Nasa desenvolve algoritmo do amor

Este algorítimo lembra a situação do caso 1, mas a sua origem do projeto é curiosa.

A namorada do pesquisador Rashied Amini, que trabalhava na Nasa, decidiu terminar a relação e a reação imediata dele para o rompimento foi se perguntar: será que consigo provar matematicamente que deveríamos permanecer juntos? E assim surgiu a ideia.

Formado em engenharia, Rashied trabalhava no Laboratório de Propulsão de Jatos da Nasa. Ele já dominava a arte dos dados e dos algoritmos. Por causa do fora que levou, decidiu criar o Nanaya.co, uma startup dedicada a fazer predição dos sentimentos.

No Nanaya os usuários fazem um teste de personalidade romântica e, com base nas respostas, o algorítimo tenta interpretar o perfil da pessoa. Até fevereiro de 2016, 22 mil pessoas já haviam respondido os formulários de Amini, fato que permitiu o lançamento do sistema beta do projeto.

E você? acredita que os dados podem mesmo dizer sobre os sentimentos?

Será que os dias dos namorados serão eternamente modificados a partir de Big Data Analytics? Compartilhe sua opinião.