Big Data Cases Dicas

Pequenas e médias empresas podem usar Big Data em seus negócios?

shutterstock_170017238
0

Uma pesquisa feita em 2013 por uma empresa norte-americana de tecnologia revelou que 51% das empresas brasileiras já planejavam implementar soluções em Análise de Dados em suas dinâmicas de trabalho.

Se você não quer deixar seu negócio ser atropelado pelas mudanças tecnológicas, mas ainda não sabe ao certo como implantar a Ciência de Dados em sua organização, este artigo é para você!

Com alguns cases bastante simples, você vai entender porque até empreendedores conservadores estão cada vez mais atentos ao diferencial competitivo que Big Data pode oferecer às organizações — e a custos bem menores do que se imagina!

Como as pequenas e médias empresas podem usar Big Data para ganhar poder de mercado

Varejo físico

O comércio virtual tem um universo de dados à sua disposição que pode ser trabalhado por ferramentas de data mining para conhecer melhor seus clientes e aprimorar sua experiência de compra. Mas, e quanto às lojas físicas? Como uma loja de roupas, por exemplo, pode tirar proveito do Big Data em seu sistema de trabalho?

Algumas lojas de moda do Shopping SP Market vêm adotando, de forma pioneira, a captação de dados dos clientes por meio de diversas câmeras (hiperdiscretas) instaladas no interior da loja. O objetivo aqui não é a segurança, mas obter informações como a faixa etária de quem frequenta o PDV (ponto de venda), gênero predominante, seções mais procuradas e até mesmo o tempo médio gasto no interior do estabelecimento. O resultado desse monitoramento é a possibilidade de gerar gráficos detalhados que vão mapear completamente as reações dos consumidores de frente às vitrines e displays, oferecendo ao varejo offline condições para tomar decisões estratégicas, como redesenho de layout, redimensionamento da loja, diversificação de um determinado tipo de produto e mudança na disposição dos itens.

Logística

Montar as rotas de entregas da maneira mais econômica possível, fazer um delivery rápido e sem riscos de danos ou deterioração dos produtos, além de reduzir custos com combustível e manutenção de frota. Para quem trabalha com logística, insistir em se manter longe das soluções em Big Data Analytics é um verdadeiro suicídio.

Um tratamento dos dados operacionais de uma empresa de logística pode gerar, por meio de algoritmos e localizadores que mostram o tráfego em tempo real, quais são as melhores rotas para um determinado momento, quais combinações de entrega gerariam os melhores resultados (em termos de economia de tempo e combustível), além de dados de temperatura ideais à conservação de produtos (captados a partir de sensores RFID instalados nos veículos da frota).

Análise de sentimento dos clientes (empresas de todos os segmentos)

Independente do setor, quem consegue monitorar permanentemente as reações de seu público e, com isso, modificar produtos/serviços ou ações de marketing ao sabor do dinamismo do mercado, certamente está fadado a engolir impiedosamente a concorrência. Existem no país algumas das mais poderosas ferramentas de monitoramento de redes sociais do mercado que podem ser contratadas a baixo custo e cujos resultados são bastante expressivos no curto e médio prazo!

Reduzir o fluxo de saída de sua base ativa de clientes (empresas de todo os segmentos)

Perder cliente custa caro, mas é possível minimizar esse fluxo (redução das taxas de churn) por meio da mineração de dados. Isso porque as soluções de Big Data dialogam com diversas aplicações, podendo capturar dados de CRM, do SAC da empresa, do cadastro de clientes, sistemas de dados de compras, das citações da empresa em mídias sociais etc. O cruzamento desses “rastros” com inúmeros recursos estatísticos geram informações sobre tendências e indicações de quais clientes estão na iminência de cancelar seus serviços, dando tempo hábil para que a organização contorne o problema.

Conheça aqui outros cases de sucesso de quem soube usar Big Data e mudou sua própria história!

Big Data para empresas de todos os portes por meio do conceito SaaS

Até pouco tempo atrás, a implementação de soluções de alto impacto em TI era privilégio exclusivo de multinacionais e empresas de grande porte. Hoje, entretanto, com a disseminação de novas formas de comercializar os recursos tecnológicos, como o SaaS, essa realidade mudou radicalmente — embora alguns diretores e gerentes de PMEs (Pequenas e Médias Empresas) ainda não tenham se dado conta disso.

O SaaS (Software como Serviço) é uma forma inovadora de distribuição e comercialização de softwares, em que o cliente não necessita mais gastar altos valores com licenças, além de não precisar mais se preocupar com atualização, upgrades de memória ou aquisição de soluções de segurança. O Software como Serviço permite que a utilização de uma aplicação (que roda online, através de servidores remotos) seja feita por meio do pagamento de uma mensalidade, que será definida a partir da estrita quantidade de módulos que o cliente contratar. Simples assim!

Dúvidas sobre como usar Big Data no contexto de sua empresa? Deixe-nos uma mensagem abaixo e lhe ajudaremos com as múltiplas possibilidades de utilização da Ciência de Dados para dominar seu segmento! Até a próxima!

Baixe_aqui_seu_Ebook (3)