Cases Dicas Monitoramento de Redes Sociais

Saiba como usar mineração de redes sociais para fazer real-time marketing

Blog-imagDestacada
0

O sucesso da ação da Oreo durante o Super Bowl 2013 despertou o interesse de milhares de empresas pelo real-time marketing, ou marketing em tempo real. A marca de biscoito conquistou um engajamento incrível com apenas um tuíte instantes depois do blecaute no maior evento esportivo dos EUA.

O aumento do interesse neste tipo de ação, que conta com os canais nas redes sociais para acontecer, não foi apenas porque o marketing em tempo real colocou a Oreo nos trending topics do Twitter no país, mas principalmente porque mostrou que é possível às marcas conquistar resultados muito positivos, aumentando a interação com seu público, agregando valor ao conteúdo e tornando a comunicação mais dinâmica e imediata, o que ajuda e muito a corresponder às expectativas dos consumidores conectados.

De fato, nas redes sociais, marcas e fãs já se envolvem em tempo real, produzindo diálogos contínuos, compartilhando vídeos, links e memes, comentando posts no Facebook, tuitando. No entanto, não basta ficar de olho nos principais acontecimentos de interesse do público e publicar mensagens aleatoriamente para tentar emplacar um viral.

O desafio é determinar a melhor forma de utilizar o tempo real para oferecer conteúdo personalizado e relevante, no momento mais oportuno. Para isso, apresentamos algumas dicas de como as marcas podem usar conteúdo de mídia social para acelerar seus esforços de real-time marketing.

 

1. Construa histórias autênticas

Mais do que simplesmente consumir, as pessoas querem participar de experiências de consumo autênticas. Para isso, é preciso aproveitar as histórias, opiniões e comentários nas redes sociais para disseminar mensagens relevantes. As equipes responsáveis pela produção de conteúdo e pelo monitoramento dos canais devem estar afinadas para oferecer publicações conectadas com as histórias que estão rolando em tempo real e deixar a conversa fluir.

Um bom exemplo disso são os “embates” entre marcas incitados pelos próprios consumidores, geralmente no Twitter – uma das redes sociais mais bacanas para se trabalhar o real-time, uma vez que um tuíte é momentâneo, não possui a mesma duração de um post no Facebook ou de uma publicação de blog.

Outro ponto importante é que as marcas precisam convidar os consumidores a tornarem-se produtores do conteúdo, e não meros espectadores. Comece a prestar atenção no que seus seguidores estão comentando nas redes sociais e procure entre sua base os consumidores influenciadores – aqueles que mais interagem com a sua marca e que mais replicam suas mensagens – para identificar o que eles têm a dizer sobre o seu negócio.

Ao monitorar assuntos, termos e palavras-chave que têm relação com a sua marca fica mais fácil identificar o melhor momento para propor uma interação em tempo real. E tudo isso pode ser feito através de um sistema integrado aos seus canais.

 

2. Ajuste o conteúdo para cada canal e para cada público

Por mais interessante que a informação que você tem na mão seja, ela precisa ter o formato certo e ser transmitida no canal certo para atingir públicos distintos no momento certo. Há muitas pesquisas que demonstram que fotos no Instagram e mensagens no Twitter funcionam melhor para o público jovem, que os boards do Pinterest costumam engajar mais o público feminino e que um público mais velho dá mais atenção a vídeos no YouTube e ao conteúdo rico dos blogs.

A mesma informação pode, e deve, ser ajustada a estes diferentes canais também em tempo real. Se o seu negócio é patrocinador de um grande evento de música, por exemplo, o ideal é propor interação em todas as suas redes de contato. Você pode lançar tuítes e fotos no Instagram com as novidades do evento a cada meia hora e, entre uma apresentação e outra, fazer um resumo dos melhores momentos com uma atualização no blog. Em seguida compartilhar o link do post em sua página no Facebook.

Cada público irá interagir em tempo real com a plataforma em que ele estiver conectado no momento. E dessa forma, sua marca alcança, se não todo, ao menos boa parte do seu público-alvo.

 

3. Descomplique a análise de dados

Os dados de interação e consumo do seu público são uma ótima maneira de conhecer cada cliente e, dessa forma, saber o tipo de conteúdo que mais trará engajamento. No entanto, quando não se tem um sistema com banco de dados robustos para colher e armazenar as informações e ainda um profissional para analisar os dados e saber o que fazer com eles rapidamente, o que você coletou ficará desatualizado e perderá parte de sua função.

Nestes casos, o melhor a se fazer é trabalhar com o básico e tornar a produção de conteúdo simples, concentrando-se em informações como idade, sexo, localização, interesses e personalidade. Se você já conhece o e-mail, a localização e os interesses pessoais dos seus consumidores, então já pode oferecer conteúdo relevante e de valor.

 

4. Ofereça conteúdo interessante

Geralmente a vida útil de uma publicação nas redes sociais é curta. Afinal, novidades chegam à internet em questão de segundos. Mas você pode prolongar a duração, e até mesmo viralizar, um conteúdo com muita criatividade e, acima de tudo, não sendo chato.

Isso quer dizer não ser institucional nem comercial demais, utilizar a linguagem do seu público e aproveitar o que outras pessoas estão dizendo da sua marca, o que costuma ser muito mais valioso e crível do que o que uma marca diz sobre si mesma. Essa também é uma forma de garantir que seus fãs se sintam parte da experiência.

 

5. Leve o virtual para o físico (e vice-versa)

Se o seu negócio tem um espaço físico, instigue seus consumidores a compartilhar conteúdo durante uma experiência de consumo. Primeiro, garanta uma conexão wi-fi no estabelecimento. Depois, escolha um ambiente bacana para que os clientes possam tirar selfies e compartilhar as fotos em suas redes sociais com uma hashtag da sua marca. Produza placas com mensagens bacanas e molduras para serem usadas na pose para o clique.

O público está mais propenso a compartilhar informações sobre a sua marca no momento em que vivenciar uma experiência com ela, durante um evento ou mesmo em uma compra. Faça também um quadro para colocar as mensagens e fotos mais bacanas tiradas no seu estabelecimento ou que falem a respeito do seu negócio.

A questão do real-time marketing não é necessariamente produzir conteúdo para redes sociais com mais agilidade ou responder às interações de forma rápida, mas sim promover histórias reais e autênticas, relevantes para o consumidor, que o instiguem a participar e que tenham conexão com algo que esteja acontecendo no momento.

Você já trabalha o marketing em tempo real nas suas ações de comunicação? Quais foram os resultados que sua marca alcançou? Compartilhe sua experiência com a gente!

Baixe_aqui_seu_Ebook_06