Análise e Discussão Big Data Cases

Social Seating: descubra o que as companhias aéreas podem fazer com Big Data

hekima-socialseating]
1

Quem nunca se sentou ao lado de uma pessoa desagradável no voo e sofreu durante horas de viagem?

Algumas grandes empresas de aviação estão tentando diminuir as chances de termos vizinhos embaraçosos usando Big Data para implementar o que vem sido chamado de Social Seating.

A intenção é deixar que os passageiros escolham seus vizinhos de assento para que possam ter, quem sabe, um voo mais acolhedor e com boas conversas.

E como as companhias aéreas vão fazer isso? Claro, isso mesmo, por meio de Big Data Analytics, cruzando os dados das redes sociais e demais fontes que os clientes permitirem acesso.

O que social seating e Big Data tem a ver um com o outro?

Oras, se estratégias de Social Seating dependem do oceano de informações que cada viajante deixa em suas redes sociais, nada mais apropriado do que o uso de soluções de Big Data!

O sucesso das combinações que prometem voos mais agradáveis depende diretamente da capacidade de coleta, processamento e análise de dados que os sistemas das companhias aéreas possuem. E, nesse cenário, nós sabemos que BDA é imbatível.

Cada rastro deixado por nós nas mídias sociais pode ser usado como fonte para uma série de afirmações, caracterizações e inferências sobre nosso comportamento e principais preferências. Com base nisso tudo, é possível cruzar dados e aumentar a chance de duas pessoas que gostam de Iron Maiden se sentarem lado a lado. Ou, quem sabe, dois empreendedores da área de tecnologia poderão compartilhar o período nas nuvens para descobrir boas parcerias.

E, indo além, pode ser que até novos “crushes” surjam entre um voo e outro. É uma ideia parecida com a do Tinder sim, porém com o propósito de provocar encontros de objetivos mais amplos e tornar as horas de viagem o mais agradável possível.

Na prática, os cientistas de dados responsáveis pelos algoritmos conseguem fazer “matches” incríveis e melhorar as experiências dos passageiros com Big Data!

Por que Big Data pode ser a melhor opção?

Algumas companhias aéreas já realizaram experimentos onde os passageiros podiam checar pessoalmente quais de seus conhecidos e amigos estariam no voo. Apesar do interesse inicial gerado pela novidade, a maioria das empresas encerrou o projeto devido à queda de adesão. A história mudou, no entanto, quando os projetos de Social Seating passar a analisar dados pré-existentes dos seus clientes.

Mais de 50.000 toparam experimentar essa ideia através dos serviços da KLM. Não é um número tão grande, todavia, a adesão vem crescendo.

De acordo com o Mashable, as rotas para o Brasil são as que mais recebem adesão dos passageiros. Ao tentar explicar o fato, o vice-presidente da cia aérea, Martijn Van Der Zeea, acredita que a adesão esteja relacionada à alta popularidade do Facebook entre os brasileiros.

Um dos maiores exemplos de como esse tipo de projeto pode funcionar é da British Airways, que cruzou dados de viagens anteriores (como destino e origens dos voos) com demais informações públicas dos seus clientes. Se um passageiro costuma escolher assentos na janela e tem um interesse por esportes, por exemplo, é possível colocá-lo ao lado de outro que prefira assentos no corredor e divida o mesmo interesse.

Lembra quando dissemos ali em cima que a adoção de estratégias de Social Seating poderiam acabar sendo uma mão na roda para o networking profissional? A Delta Airlines, uma das maiores companhias aéreas do mundo, tirou essa possibilidade do papel.

Integrando Big Data e Social Seating, a empresa implementou o programa Innovation Class, que coleta informações profissionais do cliente para ajudá-lo a se sentar perto de algum profissional de relevância em sua área.

Será que a moda pega?

Embora a inovação já esteja presente em grandes empresas como Delta e British Airways, muitos ainda se perguntam se a ideia do Social Seating não incomodaria alguns tipos de clientes, afinal, muita gente pode enxergar a iniciativa como invasiva.

Além disso, muita gente prefere aproveitar o tempo de voo para descansar ou ler. Essa pode ser mais uma das tendências para 2016, mas é certo que podemos esperar algumas polêmicas em relação ao assunto.

E vocês? Acham que o social seating é uma boa ideia? Deixem as respostas nos comentários ou em nossa fanpage no facebook

Baixe_aqui_seu_Ebook (5)