Análise e Discussão Big Data Cases

Big Data Analytics e setor de energia: uma conexão importante para o futuro

1

Há quem diga que o futuro é algo intangível, que ninguém pode vê-lo ou conhecê-lo antes que ele de fato aconteça.

Obviamente, quem acredita nessa expressão ainda não conhece Big Data Analytics.

Com o desenvolvimento de técnicas como a de análise preditiva, que se baseia no cruzamento de informações e no estudo de BDA, antecipar diversos tipos de eventos se tornou mais possível do que você imagina.

E quando falamos em diversos tipos de acontecimentos, nos referimos a possibilidades que vão da prevenção de epidemias globais à previsão de fenômenos meteorológicos e catástrofes naturais.

Confira a seguir como a análise preditiva vem sendo usada em inciativas relacionadas ao setor de energia, e como ela pode transformar a forma como nos relacionamos com o planeta.

Transformando ventos em energia limpa

Desenvolvido por uma associação de países europeus, o projeto Ukko tem por objetivo mapear e compreender a distribuição das correntes eólicas ao redor do mundo.

Por meio de um aplicativo digital que permite a coleta de um volume gigantesco de dados, o projeto analisa a estrutura e a sazonalidade de milhares de correntes de ar. Ao reunir tantas informações, os cientistas são capazes de criar um panorama sobre as fazendas de vento e a produção de energia limpa ao longo de 30 anos.

Todos os dados coletados estão disponíveis online e gratuitamente. A iniciativa permite que algumas regiões, e até mesmo países inteiros, passem a investir em energia limpa, visto que o projeto desenvolveu uma nova maneira de detectar padrões nos dados de previsão de vento sazonais.

Assim, localidades que antes não produziam energia eólica já podem aproveitar toda a potencialidade das correntes para terem energia limpa e sustentável. Quando essas informações ainda eram desconhecidas, muitas regiões do mundo apenas desconsideravam o poder dos ventos, desperdiçando um quantitativo de energia inimaginável.

Esse é um dos cases que parecem ser simples, mas que, no fundo, revolucionaram um cenário através do uso inteligente e analíticos de grandes bancos de dados.

Energia limpa, impacto zero

Já sabemos que são diversos os benefícios de se utilizar energia limpa, ao invés daquela proveniente de combustíveis fósseis ou energia nuclear. De acordo com o economista americano, Jeremy Rifkin, o impacto sobre a sociedade e o custo de geração das energias solar e eólica são perto de zero. Inclusive, esses custos podem ser ainda menores se considerarmos o enorme potencial dessas fontes de energia e também a disponibilidade delas no mundo.

Um estudo da Universidade de Standford sobre a capacidade eólica global apontou que, se 20% do vento disponível no mundo fosse recolhido, seria capaz de gerar sete vezes mais eletricidade que a quantidade que utilizamos hoje para girar a economia global.

Dessa maneira, fica fácil perceber quantos dados temos soltos na natureza e, inclusive, como eles comprovam tendências e hipóteses que favorecem iniciativas a favor do meio ambiente, ou seja, que não causem danos à natureza.

Projetando o futuro com Big Data

Além de oferecer uma solução inovadora em design, que facilita e torna mais rápido o entendimento e a visualização de uma grande quantidade de informações, o projeto Ukko também visa subsidiar tomadores de decisão, como gerentes de parques eólicos, por exemplo, partindo de predições baseadas em Big Data.

Por meio de um mapa, é possível identificar dados que indicam onde estão as correntes, a intensidade do vento, em que sentido eles ocorrem e de quanto em quanto tempo esses ventos se repetem. É puro Big Data Analytics esse trabalho!

Futuramente, os dados coletados pelo projeto Ukko contribuirão para otimizar a produção de energia limpa, assessorando também a criação de outras fazendas de vento e de usinas eólicas em todo o planeta.

Gerenciando riscos a partir de grandes volumes de dados

Com o objetivo de prever terremotos e tsunamis e, assim, minimizar seus efeitos sociais, econômicos e ambientais, foi criado, em 2009, o Global Earthquake Model (GEM). O GEM atua como um fórum internacional independente que visa desenvolver, através de Big Data Analytics, modelos, ferramentas e recursos que ajudarão diversos países a gerenciar os riscos decorrentes de catástrofes naturais.

Dessa maneira, cientistas, especialistas e organizações de todo o mundo trabalham juntos para calcular o risco sísmico global, que é a probabilidade de ocorrer futuros terremotos em um determinado período, incluindo também as chances de mortes e o impacto econômico.

Desde que foi criado, o GEM já investiu mais de 9,8 milhões de libras (o que equivale a mais de 49 milhões de reais) em projetos, envolvendo mais de 80 países e 994 terremotos catalogados em sua base de dados. A expectativa do GEM é que a predição gerada por Big Data ajude tomadores de decisão a escolher como investir na prevenção de perdas por abalos sísmicos e minimizar os impactos gerados por esses fenômenos.

Confira aqui alguns momentos em que a análise de Big Data ajudou na superação de desastres naturais. Você conhece outros exemplos de análise preditiva realizada por meio de BDA? Deixe seu comentário.