Aqui no blog, abordamos diversas vezes a aplicação de Big Data e estatística no mundo do esporte, tanto para a evolução de seu aspecto business quanto para a melhoria do desempenho de atletas (clique aqui para acessar um compilado dos nossos conteúdos acerca do tema).

A fim de continuarmos aprofundando esta rica discussão, conversamos com Breno Ferreira, educador físico que atuou como estatístico e analista de desempenho na equipe de vôlei do Minas Tênis Clube. Breno nos contou um pouco do trabalho realizado no time mineiro de coleta e análise de dados para otimização da performance dos jogadores.

A seguir, a entrevista na íntegra.

Big Data Business: Qual ou quais são os objetivos desta parceria entre vôlei e estatística?

Breno Ferreira: O objetivo desta parceria é identificar situações, problemas e ações positivas e negativas por meio de números e imagens que transformam este conjunto de informações em resultados que fazem toda a equipe crescer e se aprimorar nos diversos fatores que desencadeiam o esporte.

Imagem 2: Planilha gerada pela Data Volley principal que normalmente é utilizada para estudo antes dos jogos

Imagem 1: Exemplo de relatório de desempenho geral de equipe, gerado pelo Data Volley

BDB: Como os atletas e a equipe se beneficiam deste trabalho?

BF: Por meio de relatórios das mais diversas formas (gráficos, desenhos, números e outros), os atletas e integrantes da comissão técnica se informam de tudo que está acontecendo não só dentro da própria equipe, mas dos diversos times de todo o país e de grande parte das ligas internacionais. Desta forma, eles adquirem um maior controle de todos os fundamentos técnicos e táticos do esporte.

Imagem 2: Planilha de desempenho geral da equipe, gerada pela Data Volley

Imagem 2: Exemplo de relatório de desempenho geral de equipe, gerado pelo Data Volley

Leia também: As 20 melhores ferramentas para visualização de dados


BDB: Há outros benefícios gerados?

BF: Acredito que um dos maiores benefícios da ferramenta seja o fato de que os atletas e a comissão técnica têm todas as informações em tempo real durante as partidas realizadas. Com isso, as mudanças técnicas e táticas podem ser corrigidas também no exato momento da partida e não somente em treinamentos.

Imagem 3: Exemplo de relatório de desempenho individual de um jogador, gerado pelo Data Volley

Imagem 3: Exemplo de relatório de desempenho individual de um jogador, gerado pelo Data Volley

Leia também: Estatística, Business e Big Data: uma receita curiosa


BDB: Qual software/ferramenta é utilizado para a realização deste trabalho?

BF: Software Data Volley, para análise de números, e Software Data Video, para análise de vídeos (ambos da Data Project).

Estes dois softwares são utilizados em conjunto. Por meio dos vídeos abaixo, o entendimento será melhor:

BDB: De onde surgiu a ideia de fazer esta integração entre análise de números e vôlei?

BF: Esta ideia veio a partir da década de 1980, quando grandes equipes do esporte mundial (baseball, futebol americano, basquete) começaram a utilizar este tipo de mensuração, gerando grandes resultados nas análises dos mesmos. Com o passar dos anos as ferramentas foram se aprimorando, chegando até a mais recente (Data Volley), que hoje é utilizada em todos os campeonatos pelo mundo.

Sobre o autor:

juliano_ferreira_hekima_editJuliano é membro da equipe de Marketing da Hekima e cuida da área de Sucesso do Cliente. É apaixonado por leitura e escrita e, nas horas vagas, não dispensa uma cerveja ou uma partida de Fifa (quiçá ambas as coisas juntas).

Banner_EDIT

 

Top