Análise e Discussão Big Data Infográficos

Data Visualization: por que transformar Big Data em gráficos?

Data Visualization
3

Que as imagens possuem poder e impactam as pessoas com mais facilidade, todo mundo já sabe. Mas será que elas poderiam ser úteis também para os trabalhos de Big Data nas empresas, assumindo um papel de data visualization (visualização de dados)?  

As palavras estimulam o lado esquerdo do cérebro e são um recurso essencial para a manutenção da memória. No entanto, as imagens são ainda mais eficazes, pois conseguem ativar os dois lados do cérebro simultaneamente e, assim, permitem o resgate de ideias e informações com maior precisão e agilidade.

Pensando no dia a dia de uma empresa ou organização, seria mais fácil tomar decisões com base em um gráfico, que apresenta informações sobre faturamento de determinado produto ao longo do último semestre, ou a partir de um relatório técnico, que contém dezenas de páginas?

E então, ficou na dúvida? Veja, a seguir, porque é mais estratégico trabalhar com Big Data por meio de imagens e data visualization.

As imagens são processadas mais rapidamente pelo cérebro

Isso acontece porque o cérebro humano possui um hemisfério inteiro dedicado à análise de imagens. E, para que elas sejam processadas adequadamente, há uma infinidade de sensores situados nos olhos. Estes sensores equivalem a, aproximadamente, 70% dos receptores sensoriais que estão presentes em todo o organismo humano.

Tal estrutura, formada por olhos e cérebro, permite que uma cena visual seja decifrada em menos de 1/10 de segundo. Essas informações têm sido muito úteis, entre outras coisas, para campanhas de marketing. Um estudo de tendências do Google avaliou que os infográficos, por exemplo, são três vezes mais compartilhados nas redes sociais que os conteúdos que possuem apenas texto.

De modo semelhante, posts de blogs que possuem imagens relevantes para o público são 94% mais visitados que posts sem imagens. Nâo à toa, a veiculação de informações em forma de imagem cresceu, nos últimos nove anos, quase 1000% na internet.

As empresas data-driven utilizam inúmeras ferramentas para otimizar a visualização e a interpretação de Big Data. Os números e padrões observados por esses instrumentos são transformados em imagens, gráficos e mapas, facilitando a tomada de decisão dos gestores.

A imagem visual ajuda na compreensão de dados complexos (ou “a principal função da data visualization”)

Em meio a tantas adversidades para resolver no dia a dia, os tomadores de decisão não têm tempo a perder: eles precisam encontrar as melhores soluções para as suas empresas no menor prazo possível.

Entretanto, chegar à melhor solução nem sempre é uma tarefa fácil. Na verdade, isso exige a consideração de inúmeras variáveis, sendo uma das principais o nível de risco assumido ao optar-se pelo produto A em vez do B, por exemplo.

É aqui que entra a data visualization por meio de imagens e recursos gráficos. Ao olhar para os dados dispostos em formato visual, é mais fácil identificar as variações, os problemas e as melhorias que precisam ser feitas na estratégia, ou mesmo nos produtos.


Você também pode se interessar por: As 20 melhores ferramentas de visualização de dados


A imagem é capaz de traduzir para o cérebro, de forma didática, os inputs que ele precisa extrair e processar as informações, agilizando o processo de tomada de decisão. Além do tempo economizado, a visualização de Big Data por imagens atribui mais assertividade às decisões dos gestores.

O mesmo acontece quando uma empresa decide criar novas estratégias de vendas e fidelização de clientes, com base na observação de dados coletados ao longo da jornada do consumidor. Será mais fácil obter novos insights a partir da sistematização do grande volume de dados gerados. E essa organização pode se dar por meio de dashboards customizados, que tragam as informações mais pertinentes sobre o processo.

Os dashboards de data visualization são desenvolvidos, com base em princípios do design, para agilizar a leitura e interpretação de dados, facilitando a interação dos tomadores de decisão com os dados levantados. A visualização desses dados permitirá conhecer, de modo simples e direto, o perfil dos consumidores, seus hábitos de consumo, seus produtos preferidos e os canais mais usados para compra, por exemplo.

As imagens ajudam a identificar padrões e contam histórias

Quem trabalha com Big Data sabe que, diante de um imenso volume de dados, o que os analistas procuram é por padrões, tendências e correlações. São essas coincidências que ajudarão a decifrar os problemas estudados e, em muitos casos, elas mesmas trarão a resposta para alguns desafios, por meio de análises preditivas.

Quando os dados são transformados em imagens gráficas, a identificação de padrões e tendências torna-se mais eficaz, já que o cérebro pode interpretá-los com mais facilidade. Uma vez juntos e em ordem, é como se os dados contassem uma história sobre o fenômeno estudado – e, assim, as soluções parecem “saltar” diante dos olhos dos analistas.

Ao analisar a jornada do consumidor de determinada empresa, por exemplo, a mineração de dados é capaz de dizer, por meio da identificação de padrões, quando um cliente está insatisfeito. Essa análise pode antecipar informações essenciais para gestores e tomadores de decisão. Estes, por sua vez, terão dados suficientes para adotar novas estratégias e, assim, evitar a perda do cliente.

Gostou do artigo sobre data visualization? Você conhece outras iniciativas que utilizam a mineração de Big Data para criar estratégias mais eficientes de negócio? Compartilhe com a gente, deixando seu comentário abaixo. 

Banners_Smartalk (2)